1/6/2015 - Fespesp
Por Marianna Oliveira

Fespesp participa de Seminário em luta da PEC 555/06

FOTO MARIANNA OLIVEIRA
Joacy Mesquita, Rita Ferraro, Diógenes Marcelino, José Gozze, Arnaldo Faria de Sá e Sylvio Micelli
 
A Frente Nacional São Paulo em Defesa da Previdência Social Pública realizou na manhã desta segunda-feira (1), mais um seminário em defesa da Proposta de Emenda Constitucional 555.
 
Em trâmite desde 2006 para aprovação, a PEC visa extinguir a contribuição previdenciária dos aposentados do país.
 
O evento aconteceu na sede da Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo, Afpesp, e reuniu entidades, Confederação e Federações do funcionalismo nacional para debater sobre o tema e discutir novas ações para pressionar o Executivo a fim da aprovação da proposta.
 
Compondo a mesa de abertura e dando início ao seminário, o presidente da Afpesp, Antonio Carlos Duarte Moreira, relembrou a história de luta das entidades do serviço público de São Paulo pela PEC 555. Duarte mencionou que o cenário político atual é propício para que todas as carreiras se unam e continuem reivindicando o que é de direito do servidor.  
 
O presidente da Confederação Nacional dos Servidores Públicos, Antonio Tuccilio, que também participou da cerimônia de abertura, declarou que a não aprovação da PEC é uma injustiça com os inativos e criticou a posição do Legislativo com relação a proposta.
 
Durante a cerimônia, o presidente da Federação das Entidades do Serviço Público do Estado de São Paulo, José Gozze, alertou que os trabalhos estão sendo feitos de forma muito individual e a mudança que as entidades precisam é a união entre si.
 
Gozze comentou ainda sobre a divisão das Confederações, Federações e Entidades que problematizou o trabalho efetivo e descaracterizou o papel dos líderes do serviço público. “Não existe mais aquela força do início do movimento. As centrais se subdividiram enormemente. Para a PEC 555, independente de qualquer coisa, devemos todos estar abraçados”.
 
Além da Afpesp, estiveram presentes na mesa de abertura o 1º vice-presidente da Diretoria Executiva da Delegacia Sindical de São Paulo do Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco Nacional), Luiz Antônio Fuchs; o presidente do Sindiciato Nacional dos Funcionários do Banco Central em São Paulo (Sinal), Paulo Lino Gonçalves; o presidente do Instituto do Movimento dos Servidores Aposentados e Pensionistas (Mosap), Edison Guilherme Haubert; o presidente da Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos no Estado de São Paulo (FEESP-ESP), Lineu Neves Mazano; a presidente da Associação dos Pensionistas do Instituto de Previdência do Município de São Paulo (Apriprem), Laura Martinez Lucas; e a representante da Frente Nacional em Defesa da Previdência Pública, Josepha Britto.
 
Logo após a abertura, o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP) deu início ao primeiro ciclo de palestras do seminário sob a Coordenação do vice-presidente da Associação dos Servidores Aposentados e Pensionistas da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Aspal), João Elísio e a representante do Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no Estado de São Paulo (Sintrajud), Maria Helena Garcia Leal.
 
Arnaldo fez um panorama do cenário político atual e contextualizou com a situação do funcionalismo no Congresso Nacional. Além disso, o deputado falou aos presentes sobre a aprovação no Senado da emenda 85/95, que flexibiliza o fator previdenciário.
 
Diante desse grande passo, Arnaldo frisou que não se pode mais aceitar que a culpa seja jogada em cima do servidor, mas espera que a PEC 555 entre na pauta da Câmara rapidamente. “Nós temos as assinaturas de líderes dos partidos pedindo para que o item entre na pauta. Faltam apenas duas assinaturas para que Eduardo Cunha tome conhecimento da proposta”.  
 
O deputado acredita que o momento é positivo para grandes mobilizações, mas que os servidores junto as entidades lutem juntos para a PEC se tornar cada vez mais visível no Executivo.
 
A segunda e última palestra sobre “As mentiras sobre o déficit previdenciário” foi dada pelo auditor-fiscal, vice-presidente de assuntos fiscais da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), Vanderley José Maçaneiro. A coordenação da mesa foi feita pela diretora de Aposentadoria e Pensões da Associação Nacional dos Auditores da Receita Federal do Brasil (Unafisco Associação) e a diretora de Secretaria do Sindicatov dos Supervisores de Ensino do Magistério Oficial no Estado de São Paulo (Apase), Carmen Silvia Bueno de Oliveira.
 
 
Por Marianna Oliveira



Notícias mais visitadas nos últimos 30 dias


.... mais notícias