2/9/2015 - Assojubs
Por Camila Marques

Audiência Pública debate o atendimento do Iamspe na Baixada Santista

FOTO CAMILA MARQUES
Em Cubatão, Audiência Pública debate o atendimento médico prestado pelo Iamspe na Baixada Santista

A Câmara Municipal de Cubatão reuniu na tarde desta segunda-feira, 31 de agosto, em um de seus auditórios, servidores públicos estaduais aposentados e ativos e entidades representativas para uma discussão acerca do atendimento médico prestado pelo Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual) na Baixada Santista.

Proposta pela Comissão Consultiva Mista (CCM) Municipal de Cubatão do Iamspe, a Audiência Pública contou com a participação de membros da Assojubs e Sintrajus, que também fizeram parte da coordenação, Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), Apampesp (Associação dos Professores Aposentados do Magistério Público do Estado de São Paulo), Capesp (Centro Associativo dos Profissionais de Ensino do Estado de São Paulo), Afpesp (Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo), Afuse (Sindicato dos Funcionários e Servidores da Educação de São Paulo), Udemo (Sindicato dos Especialistas de Educação do Magistério Oficial do Estado de São Paulo) e Sifuspesp (Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo) que apresentaram inúmeras dificuldades em realizar consultas e procedimentos médicos nas poucas clínicas conveniadas na região.

A mesa de trabalho foi composta por Sylvio Micelli, presidente da CCM Iamspe, Wagner Magosso, responsável pelo Criac (Centro de Regulação de Internações e Procedimentos de Alto Custo), Eduardo Tenório, diretor do Ceama (Centro de Assistência Médico Ambulatorial) de Santos, e Maria Aparecida Barbosa, Apeoesp.

Entre as muitas reclamações, o escasso atendimento pelo Iamspe na cidade de Cubatão, que hoje conta com apenas as especialidades de clínica geral e oftalmologia. Os apelos foram no sentido de estender o serviço já oferecido e buscar novos convênios no município. Aliás, como bem mencionou Michel Iorio Gonçalves, coordenador geral do Sintrajus, quando se fala no Instituto, muitos prováveis parceiros se mostram desconfortáveis: "Em conversas com possíveis conveniados, há ressalvas, pois o argumento é que o Iamspe paga mal ou não paga. Mas, nas reuniões mensais, quando questionados, seus representantes negam tais fatos".

Outro problema tratado foi o recente convênio do Iamspe com a Sociedade Portuguesa de Beneficência de Santos (SPB), cuja informação inicial era de uma assistência médica e hospitalar ampliada aos usuários do Iamspe. Quando passou a vigorar, constatou-se que o contrato firmado entre o hospital e o Instituto não prevê consultas, somente atendimento no Pronto Socorro 24 horas.

Segundo esclarecimentos da MiltiMed, empresa credenciada pelo Iamspe que gera o convênio com a Sociedade Portuguesa de Beneficência, aos representantes da Assojubs e Sintrajus, os casos de emergência/urgência podem resultar em internações, com realização dos exames devidos e utilização da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), em encontro no dia 16 de julho, no hospital.

"Apesar de um grande ganho para a região, o convênio com a Beneficência não é suficiente. Precisamos de uma nova forma de gestão para o Iamspe, precisamos descentralizar o atendimento, cada região precisa ter seu hospital, há muitas carências nas cidades, e não somente na Baixada Santista", frisou Rosângela dos Santos, secretária geral da Assojubs.

Foi também reivindicado que o veículo que o Iamspe disponibiliza às terças e quintas-feiras para levar os usuários da Baixada Santista ao Hospital do Servido Público Estadual (HSPE), na Capital, com saída de Santos, passe por Cubatão. Em resposta a Magosso, que alegou não ser o adequado esse serviço, Guilherme Nascimento, do Capesp, rebateu: "O Iamspe não dá resultado para nós da Baixada, então que coloque quantos automotivos forem necessários para levar o pessoal para São Paulo. É a forma de vocês administrarem que leva a isso".

Magosso e Tenório disseram estar aguardando a documentação para a habilitação de outras especialidades na clínica conveniada com o Iamspe na cidade de Cubatão. Quanto ao veículo que leva os usuários para o atendimento no HSPE, responderam que será estudada a viabilidade em virtude do horário de saída ter que ser adiantado para a chegada pontual ao hospital, em São Paulo.

Ao final, foi reforçado o ato que será promovido no dia 9 de setembro, quarta-feira, à entrada do HSPE em prol de investimentos para o Iamspe, consequentemente a contrapartida financeira do Governo do Estado ao desconto mensal no holerite do servidor público. Há décadas o Executivo não cumpre com sua responsabilidade para manter o Instituto, um descaso generalizado que remete ao sucateamento do atendimento.




Notícias mais visitadas nos últimos 30 dias

1 - Fespesp pressiona deputados pela votação do PLC 30/2013
2 - Entidades do Judiciário definem próximos passos da Campanha Salarial

.... mais notícias