22/2/2018 - Fespesp
Por Marianna Oliveira

Presidente do TJSP recebe entidades representativas do Judiciário

FOTO MARIANNA OLIVEIRA
O primeiro encontro com o desembargador passou longe das formalidades e surpreendeu as lideranças.

Discurso com mais de duas horas feito em pé e com direito a brincadeiras. Foi dessa maneira que o atual presidente do Tribunal de Justiça, Manoel de Queiroz Pereira Calças, recebeu as entidades de classe no Palácio da Justiça nesta quinta-feira, 22 de fevereiro. O primeiro encontro com o desembargador passou longe das formalidades e surpreendeu as lideranças. 

Antes de tocar em qualquer assunto de interesse das entidades, Pereira Calças contou sua trajetória dentro do Tribunal de Justiça até a chegada na presidência do órgão. “Estou aqui com uma paixão imensa e chego a esse cargo depois de uma árdua carreira pública”, disse o desembargador. 

Em seguida, o presidente entrou no item de maior interesse dos servidores: orçamento. O Tribunal, na maioria das vezes, justifica que alguns pleitos das entidades não são atendidos devido a “falta de recursos orçamentários do órgão”. Em 2018, esse cenário ainda não mudou. Pereira Calças reiterou que o Legislativo cortou 50% da verba destinada ao TJ e que, evidentemente, “haverá dificuldades para atender todas as demandas. Mas vou me empenhar para que não haja nenhum retrocesso aos servidores públicos. É uma situação complexa mas o objetivo que tomei quando assumi este cargo é de que eu vou ser um defensor intransigente de todos os pleitos que forem possíveis”, afirmou.

Foi com esse discurso que o desembargador anunciou, sem hesitar, a majoração de auxílios saúde, alimentação, transporte e o pagamento da data-base de março, todos de acordo com o índice do INPC que será divulgado ainda esse mês. No transporte, a correção será retroativa ao início da vigência da tarifa de R$8,00. Além disso, Pereira Calças também garantiu a implementação do Acesso e a manutenção do Instituto da Remoção. 

Após a apresentação do Plano de Metas da Presidência, foi aberta a palavra às entidades. José Gozze, representando a Fespesp e a Assetj, elogiou a iniciativa do TJ em fazer uma reunião de apresentação e aproveitou para salientar a necessidade das Comissões. “Nas duas últimas gestões presidenciais, nós formamos grupos onde participavam 5 representantes de entidades e 5 do Tribunal. Nós gostaríamos que isso tivesse seguimento pois são através delas que as questões dos servidores chegam até a presidência e podem ser estudadas”, falou Gozze. 

“Os boatos dentro do TJ também preocupam os servidores. Um caso claro foi o das horas extras”, referiu-se Gozze aos rumores de redução da jornada de trabalho. A assessoria da presidência informou que as horas credoras serão avaliadas de acordo com cada situação.

Mesmo com o anúncio dos reajuste, Gozze apontou as perdas inflacionárias do passado e o valor baixo do auxílio saúde. “Se unidas com a inflação desse ano, chegamos a 20% de reposição que não recebemos. Isso é uma grande preocupação dos servidores, assim como o auxílio saúde. Hoje em dia ninguém paga menos que R$1000,00 em uma plano de saúde, até para quem depende do Iamspe a situação fica complicada, pois precisa arcar com remédios caros, é o caso dos aposentados. Se colocarmos no papel, o auxílio não chega nem a um quinto do valor de um plano”, concluiu.




Notícias mais visitadas nos últimos 30 dias

1 - Assembleia do Judiciário marcada por resistência e pressão ao TJSP

.... mais notícias