15/11/2018 - Assetj
Por Assetj

TJSP nega reunião com as entidades



Pela primeira vez, a Assetj e entidades representativas de servidores do Judiciário foram tratadas como invasoras do Palácio da Justiça. 

Após conversa com os servidores presentes na escadaria do Palácio, por determinação inédita, dirigentes que usavam a camiseta da entidade, tiveram que colocar ao contrário para ter a entrada garantida. 

Em seguida, a segurança do prédio anunciou que havia apenas 32 lugares disponíveis para acompanhar a Sessão do Órgão Especial, uma forma de negar a entrada de todos os presentes, já que o outro lado dos assentos estava completamente livre.

No saída da Sessão, os dirigentes seguiram até o gabinete da presidência para reiterar o pedido de mesa de negociação com Manoel de Queiroz Pereira Calças, onde foram afastados de forma arbitrária. Os Militares, que fazem a escolta, usaram frases como “se afastem”, “qual parte de se afastar daqui vocês não entenderam?” “aqui é área de segurança”. Importante frisar que todos os dirigentes são servidores públicos do Tribunal de Justiça, aposentados, na ativa ou afastados, e portanto a permanência no local deveria ser permitida. Todos estavam com o único propósito de ser vistos por todos desembargadores, juízes assessores e presidência.

Apenas José Gozze (Assetj e Fespesp) e Adolfo Benedetti (Assojuris) foram recebidos por dois magistrados, que prometeram o encaminhamento do pedido ao presidente Calças, mas sem previsão de data. Também foi mencionado aos magistrados o tratamento excessivo da PM com os servidores.

“Saímos muito preocupados e decepcionados. Vamos voltar na próxima quarta-feira porque precisamos de uma mesa de negociação. Esperamos que mude essa situação”, ressaltou José Gozze.

Após as mobilizações ocorridas em todo estado no dia 7 de novembro, as associações solicitam uma mesa de negociação com o presidente do TJSP para discutir a reposição salarial, pagamento dos atrasados, auxílio-saúde e encaminhamento do Projeto de Lei de Nível Universitário para Escreventes. 

Se todos os pedidos fossem contemplados, os servidores teriam um aumento de cerca de 50% em seus vencimentos, sendo:

  • aprovação do PLC 30/2013 - reajuste de 10,55% (abr/2002 a fev/2013)
  • pagamento de 4,77% (mar a nov/2010)
  • pagamento de 1,5% (mar a ago/2011)
  • cerca de 30% no Nível Universitário - alteração da referência
  • auxílio-saúde de R$800,00 para contemplar ativos e aposentados

 




Notícias mais visitadas nos últimos 30 dias

1 - Frente Paulista em Defesa do Serviço Público apoia o Magistério
2 - Frente Paulista delibera Calendário de Lutas e ações contra o PL 529/20
3 - Nota de falecimento
4 - Assembleia Geral dos Servidores do TJSP - 16/09/2020
5 - A PEC 32/2020 NÃO É UM PROJETO DE REFORMA ADMINISTRATIVA
6 - Dia de lutas Contra o PL 529/2020
7 - CARTA ABERTA DA FRENTE PAULISTA EM DEFESA DO SERVIÇO PÚBLICO
8 - Frente Paulista presente em ato na Alesp contra o PL 529/2020
9 - CCM IAMSPE e o PL 529/2020 - Nota de esclarecimento à população
10 - Dieese lança síntese sobre a Reforma Administrativa
11 - Live Reforma Administrativa- Movimento Viva, Febrafite e Congresso em foco
12 - Frente Paulista delibera calendário de mobilização Contra o PL 529/2020
13 - Live Reformas Tributária e Administrativa - Pública
14 - Representantes dos servidores se reúnem com assessores da presidência do TJ
15 - Carta aberta à Rede Globo
16 - Live | Reforma Administrativa
17 - Frente Paulista delibera Ato na Alesp amanhã (29)

.... mais notícias