19/9/2019 - Apatej
Por Conjur

Calças apresenta ao Órgão Especial projeto de prédio que custará R$ 1,2 bi



O desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), apresentou na quarta-feira, 28/08, aos integrantes do Órgão Especial, o planejamento para construção do novo prédio do tribunal, o que inclui o projeto e o passo a passo da licitação. O valor preliminar da obra, que ainda depende de aprovação, é de R$ 1,2 bilhão.

A apresentação ocorreu a portas fechadas durou mais de uma hora. Segundo apurou a Conjur, os integrantes do colegiado fizeram sugestões ao projeto. Ainda não há prazo para início das obras. A expectativa é inaugurar o prédio entre 2025 e 2027.

No início de agosto, a Prefeitura de São Paulo autorizou a construção do prédio. O alvará de aprovação de edificação nova foi publicado no Diário Oficial do Município, junto com um parecer técnico elaborado pelo Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável dando aval para a obra.

O terreno do novo prédio fica entre as ruas Conde de Sarzedas, Conselheiro Furtado e Tabatinguera, no centro da capital paulista. A ideia é reunir ali os gabinetes de todos os 360 desembargadores e dos juízes substitutos em segundo grau. Hoje, o TJ-SP aluga prédios apenas para os gabinetes, alguns ao custo de R$ 1,5 milhão por mês. Com o novo prédio, o tribunal espera economizar R$ 52 milhões ao ano.

“Esse projeto vai mudar o centro de São Paulo”, afirmou o presidente do TJ-SP, desembargador Manoel Pereira Calças, em entrevista ao Anuário da Justiça. “É a minha menina dos olhos”, completou. Segundo o presidente, a principal vantagem em ter todos os desembargadores trabalhando no mesmo local é a logística.

“Em primeiro lugar, menos gastos com transporte dos desembargadores para as sessões. Com um prédio só, a segurança também é reduzida”, afirmou. Com mandato terminando no fim do ano, Pereira Calças quer deixar ao seu sucessor ao menos o projeto 100% aprovado. Por isso, fez essa apresentação ao Órgão Especial.

 

O projeto

A ConJur teve acesso ao projeto do novo prédio do TJ-SP. Serão 31 pavimentos. Os 584 gabinetes, com 70m² cada, ficarão entre o 4º e o 23º andar. Haverá seis andares de garagem (mais de 1.200 vagas), além de um heliponto, um auditório com 689 lugares e um pavimento com restaurante exclusivo e área de convivência para desembargadores e juízes substitutos em segundo grau. A licitação do projeto executivo terá valor máximo de R$ 25,3 milhões. 

 

Publicada em 02/09/2019




Notícias mais visitadas nos últimos 30 dias

1 - Live Ações para o enfrentamento do Coronavírus
2 - Debate: Expectativas sobre o Judiciário - part. José Gozze
3 - Tudo pronto para a Live histórica do dia do Trabalhador neste 1º de Maio
4 - Live: O papel dos servidores na reconstrução do estado brasileiro
5 - Iamspe: Carteirinha Digital, 2ª via de boleto e a Declaração de IR
6 - Live: o serviço social em tempos de pandemia
7 - O remédio da demagogia em tempos de coronavírus
8 - Centrais enviam carta para o presidente da Câmara Rodrigo Maia
9 - Live: Os Servidores do Judiciário na crise do Coronavírus
10 - NOTA DAS CENTRAIS SINDICAIS
11 - Taxar grandes fortunas é alternativa para garantir mais recursos
12 - Nota de Repúdio da Pública por ofensa do Ministro Guedes
13 - Nota das centrais sindicais em defesa da Democracia, contra o Golpe
14 - Live | Políticas públicas e serviço público durante e pós pandemia

.... mais notícias